(16) 3371-2277
Praça Dom José Marcondes Homem de Mello
(Av. São Carlos s/nº) Centro, São Carlos/SP

Autoria: Wanda Fantti

Tempo de Esperança

Nossa História, vivida a partir da fé da Igreja Católica, nos convida a iniciar uma caminhada que chamamos de tempo do Advento. Tempo de Espera e Esperança. Tempo de abertura para acolher o Senhor que vem.

Para dar espaço a este Senhor e acolher a redenção que ele traz é necessário estar disposto a mudan??as, ou seja, permitir que a casa fique limpa para o Senhor que vai chegar possa nela fazer morada.

Esta caminhada ao longo de todo o ano litúrgico C será com um grande amigo, o evangelista São Lucas e com o livro do Evangelho que ele escreveu à sua comunidade e a Igreja de Jesus Cristo de todos os tempos.

Coroa do Advento na CatedralSabemos que São Lucas nos deixou duas grandes obras O Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas e o Livro dos atos dos Apóstolos.

Com o 1ª domingo do advento, iniciamos mais um ano litúrgico e também nossa caminhada para o natal do Senhor.

Somos convidados nesta celebração a fortalecer a nossa fé para não ficarmos abalados diante das contrariedades da vida.

O advento é tempo de prepararmos os caminhos que nos levam ao encontro com Jesus, que veio e continua vindo até nós.

Caminhando ao encontro de Cristo e confiantes nele, vencemos nossas dificuldades e buscamos uma sociedade justa e fraterna.

Na justiça vivemos o amor recíproco que faz a comunidade e cada um de nó crescer na esperança. Estejamos, pois, atentos e tornemo-nos discípulos, testemunhando já aquele que virá: Jesus Cristo, nosso Salvador e Redentor.

O conteúdo das leituras ajuda a criar em nós atitudes de amor filial, senso de justiça e fidelidade a Deus, aguardando a feliz esperança e a manifestação da sua glória

A esperança da plena manifestação de Jesus e do mundo por Ele prometido coloca-nos em movimento na direção de um mundo mais justo e fraterno.

1a Leitura, (Jr 33,14-16)

Após um longo exílio, o Povo, cansado e abatido, retorna para a sua terra, mas encontra tudo destruído, precisa recomeçar tudo de novo.

O profeta Jeremias proclama a chegada de dias melhores.

Surgirá um descendente de Davi, que assegurará a paz e a salvação.

Recordando as promessas de Deus, o profeta elimina a saudade do passado, elimina o medo do presente e instaura o clima da ESPERANÇA.

Esse rebento esperado pelos israelitas é Jesus de Nazaré.

2a Leitura, (1 Ts 3,12-4,2)

Paulo lembra à comunidade de Tessalônica que a melhor maneira de esperar a vinda do Senhor Jesus é crescer no amor recíproco.

Evangelho (Lc 21,25-28.34-36)

Estamos nos últimos dias da vida terrena de Jesus.

Ele anuncia tempos difíceis de sofrimento e perseguição.

O texto, numa linguagem apocalíptica, fala da segunda vinda de Cristo.

Os “sinais” catastróficos apresentados, não são um quadro do “fim do mundo”; são imagens utilizadas pelos profetas para falar do “dia do Senhor”, quando Ele vai intervir na história para libertar o seu Povo.

O quadro visa reavivar a ESPERANÇA pelo novo dia que surgirá e motivar a VIGILÂNCIA para reconhecer e acolher o Senhor que vem.

“Fiquem de pé e levantem a cabeça, pois a vossa liberta??ão está próxima”.

Quatro atitudes fundamentais neste tempo do advento  para vivermos o natal do Senhor santamente:

* Esperança * Vigilância * Oração *Conversão

As leituras deste 1º domingo do advento C nos levam a olhar para tempos novos marcados pela esperança e pela alegria, pois os tempos difíceis já se passaram.

Hoje o homem domina todas as realidades e dimensões da vida tudo pode e deve ser previsível, prevenido, programado e organizado de modo a não sermos surpreendidos por sustos e medos e desgraças.

Vivemos num tempo em que tudo é previsto e a intenção é que nada abale a segurança do homem.

Mas será isso possível?

No antigo testamento, o homem, diante do limite e da fragilidade, nos medos e na insegurança, tinha bem mais oportunidade para abandonar-se com facilidade á Providência Divina e colocar a vida nas mãos de Deus e a Esperar no Senhor.

No novo testamento Jesus nos leva a acolher o hoje de Deus.

A liturgia e de modo especial o Evangelho nos falam de Volta do Senhor, e volta imprevisível onde ao homem cabe: Esperar – Esperança – e Vigilância.

Lucas não anuncia o fim do mundo, mas mostra com linguagem apocalíptica que a destruição de Jerusalém foi oportunidade para continuar implantando o Reino de Deus, uma vez que o mundo não acabou.

Com a queda de Jerusalém nos anos 70 d.C. a Igreja de Jesus abriu-se a todas as nações e saiu do particularismo do templo de Jerusalém para que todos pudessem entrar neste caminho de seguimento de Jesus e de construção do Reino de Deus na expectativa da 2ª vinda do Filho de Deus.

Num mundo onde todos estão “amparados, protegidos e salvos”, precisamos anunciar com palavra e exemplo que esperamos no Senhor porque só Nele está a salvação.

Nossa vida é uma alegre expectativa no Senhor, pois celebramos a morte e ressurreição do Senhor até que ele venha.

Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus.

Adicionar comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *