(16) 3371-2277
Praça Dom José Marcondes Homem de Mello
(Av. São Carlos s/nº) Centro, São Carlos/SP

Dom Paulo Sérgio Machado – Bispo Diocesano

Páscoa é esperança para a alma, é luz para a mente, é alegria par o coração, é calor contra a solidão. Páscoa é Paz.

A páscoa cristã é a grande festa porque nos faz entrar na redenção operada por Jesus Cristo, crucificado, morto e ressuscitado e que se torna o nosso redentor. A páscoa é a passagem do pecado à justiça, à santidade, à liberdade do homem novo. De fato, na páscoa, o nosso “homem velho” deve dar lugar o “ homem novo”; o homem “escravo do pecado” deve ceder o lugar ao ” homem livre”; o “homem carnal” deve transformar-se no “homem espiritual”.

“Ressurgindo ao terceiro dia – escrevia Santo Antonio – Jesus abriu para nós a possibilidade da ressurreição. “Pela a graça de Deus sou homem e cristão; por minhas  ações, grande pecador; por vocação, peregrino” é o que nos conta a “ história de um peregrino russo”. Ele, como peregrino, percorre estepes e florestas, cidades e vilas, na busca de um sentido para a vida.O escritor Erich Fromm lamenta esta “sociedade mecanizada” que tem como objetivo a máxima produção  material e o máximo consumo.

Se o Natal nos é caro pela “doçura do Menino”, pela poesia do presépio, pelo esplendor dos anjos e dos magos, pela surpresa dos presentes, a Páscoa nos é igualmente cara pela  “paixão de Cristo por nós”, pelo dom da Eucaristia, pela “beleza do sacerdócio” e pela “ alegria da vitória” da vida sobre a morte.

A sepultura está vazia. Jesus ressuscitou ! E Ele apareceu aos discípulos e os cumprimentou com palavras de esperança: “ A Paz esteja convosco!” E se revelou aos discípulos de Emaús no “ partir o pão”. O relato que está no capítulo 24 de Lucas é, senão a mais bela, uma das mais belas narrativas da ressurreição. Relato que encanta pela sua simplicidade e pela espontaneidade. Os dois discípulos dos quais um tem o nome registrado no relato, Cléofas – aparecem com o alguém que está “ voltando do cemitério” após o enterro de uma pessoa querida. Estão tristes, cabisbaixos, derrotados.  E Jesus se coloca no meio deles, fazendo companhia e “puxando conversa”. Ele fez de conta que não sabia de nada. E os discípulos – sem saber que o companheiro de viagem era Jesus- contam pormenorizadamente tudo o que havia acontecido.

Chegando em Emaús, eles convidam o desconhecido para ficar com eles. “ Fica conosco, já está escurecendo e o caminho é perigoso !”. Jesus aceita o convite e se revela no “partir o pão”.

A Páscoa é celebrada em cada domingo, dia do Senhor. Por isso é importante valorizar o domingo como dia santificado em honra do Senhor Ressuscitado, presente no meio de nós. Que Ele acompanhe a sua Igreja pelos caminhos da missão e da nova evangelização !

Adicionar comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *